Skip navigation

Tag Archives: Ano Novo


Homem_VelhoO homem velho está sentado em meio às trevas, pensando nas suas amantes agora já mortas…

A noite havia caído, tão rápida, um pouco mais a cada dia…

Uma estrela pisca na distância, um outro mundo, tão distante. Será que ainda existe?

Ninguém sabe.

Vemos tão pouco. Sabemos tão pouco.

Será que elas ainda me amam? Ou será que viraram poeira, feito as estrelas?

E eu? Virarei anjo ou poeira?

Durante sua vida, buscou por certezas, por respostas aos grandes enigmas.

Primeiro, tentou a fé.

Depois, o conhecimento.

Com o passar do tempo, descobriu que não existem respostas simples, que não existe uma explicação final, coerente.

Entendeu que não existe um plano para a Criação.

Lutou contra isso, sem querer aceitar que o que podemos conhecer é limitado, que nunca saberemos tudo.

Sentiu-se pequeno e inútil.

Se não posso compreender o mundo, quem sou eu?

Sofreu durante muito tempo. Não sabia como abraçar a simplicidade do não saber.

Aos poucos, as coisas começaram a mudar.

A direção que antes levava a nada virou uma nova estrada.

Era bom não ser parte de um plano para o mundo. Pela primeira vez, o homem velho sentiu-se livre.

Podia sempre continuar a perguntar e a aprender sobre o mundo e sobre a si próprio.

Podia sempre amar e esperar que fosse amado.

Estar vivo e ser lembrado é o que importa.

Uma coruja piou na distância.

O homem velho sorriu e pegou o telefone. Para quem ligaria?


Bibliografia:

GLEISER, Marcelo. Criação Imperfeita.: Medo das Trevas II


Anúncios